Make your own free website on Tripod.com
XV Copa do Mundo da FIFA - 1994
Julio Salinas
Home

juliosalinas.jpg

Julio Salinas Fernández (Bilbao, 11 de setembro de 1962) é um ex-jogador de futebol basco.

Surgiu no principal clube de sua cidade e do País Basco, o Athletic Bilbao, participando da conquista de dois campeonatos espanhóis e de uma Copa do Rei, mas é mais lembrado como jogador do Barcelona, para onde se transferiu em 1988 após duas temporadas no Atlético Madrid.

Salinas integrou o chamado Dream Team ao lado de outros integrantes da grande geração basca do final dos anos 80 e início dos 90, como Ion Andoni Goikoetxea, Andoni Zubizarreta, Txiki Begiristain, José Ramón Alexanko e José Mari Bakero, em um time que deu ao Barça seu primeiro título na Liga dos Campeões da UEFA.

Salinas saiu do Barcelona em 1994 para o grande time do Deportivo La Coruña daquele tempo, liderado por Bebeto, mas ficou apenas uma temporada no clube (o suficiente para ser vice-campeão espanhol, atrás de sua ex-equipe, o Barcelona). Encerraria a carreira em 2000 após rodar por Sporting Gijón, Yokohama F. Marinos e Deportivo Alavés.

Pela Seleção Espanhola, marcou 22 vezes em 56 jogos, disputando três Copas do Mundo, marcando um gol em cada uma; na de 1986, na vitória por 2 a 1 sobre a Irlanda do Norte, na primeira fase; na de 1990, na derrota por 2 a 1 para a Iugoslávia, nas oitavas-de-final; e na de 1994, em empate de 2 a 2 contra a Coréia do Sul. Nesta, entretanto, ficou mais lembrado pela grande chance de gol que perdeu no final do jogo contra a Itália, que venceu por 2 a 1 em jogo de arbitragem polêmica, em que o árbitro húngaro Sándor Puhl não marcou pênalti e nem expulsou o italiano Mauro Tassotti pela cotovelada que este deu em Luis Enrique na grande área, quebrando seu nariz.

volta à página inicial