Make your own free website on Tripod.com
XV Copa do Mundo da FIFA - 1994
Rudi Völler
Home

portraet_wm1990_voeller_g.jpg

 
Rudolf "Rudi" Völler (Hanau, 13 de abril de 1960) é um ex-futebolista alemão e ex-treinador da seleção nacional de seu país.

Ganhou a Copa do mundo, em 1990, e levou a Alemanha ao segundo lugar na Copa do Mundo de 2002. Geralmente jogando como um grevista, Völler foi para a equipe do Werder Bremen, e conquistou o Bundesliga em 1986. Em 1987 foi transferido para a A.S. Roma, onde ganhou a Copa da Itália, em 1991. Em 1992, Völler foi para o Olympique Marseille, ganhando a Champions League, em 1993. Voltou para a Alemanha, para o Bayer Leverkusen, em 1994, onde terminou sua carreira como um jogador em 1996 e começou uma carreira na gerência do clube. Völler foi chamado noventa vezes para a equipe nacional, marcando 47 gols, includindo 8 em jogos de copa do mundo. Era membro da equipe que ganhou a Copa do Mundo de 1990. Durante o jogo contra os Holandeses, Völler e Frank Rijkaard foram expulsos, pois um havia cuspido no outro.

Völler jogou também a Eurocopa de 1984, a Copa do Mundo de 1986, a Euro 88, a Euro 92, e a Copa do Mundo de 1994. Após uma Euro 2000 decepcionante para a equipe alemã, tendo como técnico Erich Ribbeck, a federação alemã (DFB) apontou Völler como o novo treinador. Inicialmente, seria apenas por um ano, mas estendeu seu contrato, quando seu sucessor, Christoph Daum, foi envolvido em um escandalo de drogas. Rudi conduziu à equipe a uma final surpreendente na Copa do Mundo de 2002, com um time limitado. Após uma saída na primeira fase da Euro 2004, ele renunciou ao cargo. Depois de sua renúncia da seleção nacional alemã, Völler treinou momentaneamente a A.S. Roma em 2004. Acabou pedindo demissão depois de choques com Cesare Prandelli, e resultados ruins, além de muitos desentendimentos com Antonio Cassano.

Völler voltou ao Bayer Leverkusen, sendo nomeado gerente de futebol do time, em 16 de setembro de 2005, no entanto, acabou sendo substituido por Michael Skibbe. Mas Völler é ainda extremamente popular na Alemanha. Sempre que os alemães veêm Völler em público, chamam: "Ruuuudi". Mesmo quando o time nacional conseguiu somente resultados modestos, Völler nunca perdeu sua popularidade como o público alemão soube que estava conseguindo tanto quanto possível com um time relativamente limitado. Já Berti Vogts, que treinou a equipe antes de Völler, foi crucificado por todos, mesmo durante períodos de sucesso com o time alemão, imensamente talentoso. O público perdoou Völler, mesmo quando durante uma entrevista na TV, em setembro de 2003, quando ele perdeu a cabeça e pronunciou palavrões atacando o apresentador Waldemar Hartmann, a fim de defender sua equipe dos ataques da imprensa. Völler ganhou-se o apelido afetivo, de "Tante Käthe" ("tia Kathie"), devido a seu cabelo cinzento, apelido dado pelos amigos de sua cidade natal, Hanau.

volta à página inicial